sexta-feira, junho 24, 2005

O nosso Jazz

Relembro o momento em que deslizei para o seu carro, bem como o meu suspiro de prazer ao interiorizar a musica que rolava no leitor: um jazz moderno, maduro, muito light que transpirava sensualidade e bom gosto subjacente. Um jazz que me encantou os sentidos e me deixou deveras relaxada, mesmo quando o meu estado de espírito deveria ser frenético e nervoso, tal não era a fugacidade do encontro e as novidades que se projectaram em catadupa sobre a minha entorpecida percepção de si…