sábado, junho 25, 2005

Eu hoje acordei assim...

Vesti os meus jeans milenares, enfiei uma t-shirt branca adornada por um singelo pin provocador e sai porta fora, ainda com uma mão a ajeitar o sapato e um braço desajeitado a puxar a porta da frontaria. Desci a rua a correr, enfiei-me no metro, esgueirei-me para um banco lá do fundo e aí permaneci uns bons minutos enquanto refazia mentalmente o meu percurso e pensava, incansável, todos os pormenores dos meus afazeres.
Quando entrei no shopping já eram dez e um…e eu deveria estar na baixa antes da onze, por isso, com muita pena, desviei o olhar das montas de pronto-a-vestir e segui decidida para a Bertrand lá do fundo. Dei uma vistinha de olhos nas gordas dos tablóides, vislumbrei a patética promoção de verão, dei-me ao luxo de perder uns bons minutos na pesquisa de noticias em língua estrangeira…mas acabei por pegar nos meus fieis jornais de fim de semana e sair dali…
Agora, estou aqui no quarto, tremendamente irritada com um comentário idiota que fizeram a um texto meu, mas ligeiramente esperançosa com as próximas horas de cultura! Haja leitura e informação…e até estes pormenores mesquinhos acabamos por esquecer.

No entanto, o que me apetecia fazer, fazer mesmo…era sair daqui para fora, munida do meu protector solar, enfiada nuns pequenos corsários de linho com a minha Vogue debaixo do braço e partir á descoberta de uma treta qualquer ali para os lados do mato urbano…Quem sabe se não encontraria uma preciosidade qualquer para descrever logo á noite na minha crónica pré-sono? Hum…parece-me tentador…mas utópico! Hoje acho que me fico pela viagem comodista que é ler aquilo que outros sentiram…